“O crescimento do Brasil depende de mais investimentos em logística”

Robbert Van Trooijen, CEO da Maersk na América Latina e principal executivo do maior grupo de transporte marítimo do mundo, enxerga oportunidades de negócios no segmento terrestre, mas condiciona o sucesso da economia a mais empenho em infraestrutura.

O crescimento do Brasil depende de mais investimentos em logística
Foto de Albin Berlin no Pexels

O executivo holandês Robbert van Trooijen, que comanda na América Latina as operações da Maersk, maior grupo de logística marítima do mundo, com faturamento de US$ 39,7 bilhões no ano passado e frota de 705 navios, tem observado com foco microscópico as oportunidades de negócios e investimento em toda a região, a partir de seu escritório na Cidade do Panamá. Embora acompanhe de perto a dinâmica de diversas economias, é o potencial de crescimento no Brasil — país com maior extensão litorânea, maior dimensão territorial e uma das mais defasadas infraestruturas de transporte — que chama a sua atenção. “Como fazenda do mundo, o Brasil precisará investir em logística terrestre para aumentar a conectividade e reduzir custos”, disse Trooijen à DINHEIRO. Além de mais recursos, esse aumento de eficiência na logística passa, segundo ele, pela digitalização. “O País é muito manual em seus processos logísticos, algo que precisa mudar”, afirmou. Acompanhe, nas páginas a seguir, os destaques da entrevista.

DINHEIRO —O chamado custo Brasil é quase tão antigo quando o próprio Brasil, mas pouco se faz para equacionar esse problema. Qual a sua proposta?
ROBBERT van TROOIJEN — Como fazenda do mundo, o Brasil precisará investir em logística terrestre para aumentar a conectividade e reduzir custos para os produtores em um país continental. Isso inclui mais ferrovias, estradas e armazéns. Por isso, vemos as maiores oportunidades de crescimento em logística terrestre e serviços no Brasil. A Maersk está procurando aprofundar sua presença em logística terrestre, como armazenamento e distribuição, gestão da cadeia de suprimentos, desenvolvimento da cadeia de suprimentos, serviços alfandegários e financeiros. Em todo o mundo, crescemos 42% no primeiro trimestre deste ano, para mais de US$ 2 bilhões.

Aprofundar presença da Maersk significa comprar empresas ou crescer organicamente?
Ambas. No transporte marítimo, somos líderes. Mas em logística terrestre, não. Por isso, o crescimento orgânico é superimportante. Nesse quesito, já estamos crescendo entre 20% e 25% ao ano, mas numa base mais humilde. Estamos pensando também em fazer investimentos em capacidade, basicamente, não necessariamente orgânico, já olhamos alguns projetos. As aquisições devem fazer sentido para nós, financeiramente e operacionalmente. Estamos olhando o mercado, sim, para eventuais aquisições.

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site Isto É Dinheiro com a matéria completa.

Facebook Comments Box